Crescimento pessoal

28/10/2013 22h13

Respirar: o mantra mais profundo

Exercícios do Yoga ajudam a nos conectar com o momento presente e harmonizar as emoções

Por Nosso Bem Estar

DIVULGAÇÃO/NBE
Exercicios respiratorios do ioga

“Inspire e deixe que o inspirar reflita-se no seu ser. Expire e deixe que o expirar reflita-se no seu ser. Sentirá um tremendo silêncio descendo sobre você. Este é o mais profundo mantra jamais inventado: ver o ar entrando e saindo, inspirando e expirando. Você respira aqui e agora.

Não é algo que possa fazer ontem ou amanhã; você tem de respirar neste momento. Mas você pode pensar sobre ontem e sobre amanhã. Assim, o corpo fica no presente e a mente fica pulando entre o passado e o futuro; há uma divisão entre o corpo e a mente. O corpo está no presente e a mente nunca está; eles nunca se encontram.

Por causa dessa divisão é que a ansiedade, a tensão e a angústia surgem. As pessoas são tensas por causa das preocupações. A mente tem que ser trazida para o presente porque não existe nenhum outro tempo.” Osho

Se pararmos para refletir sobre estas palavras, muitas mudanças podem acontecer em nossos seres. Num mundo acelerado em que pouco tempo nos sobra para ouvir o coração, o ato de respirar tornou-se uma função praticamente automática do corpo físico. Captamos o mínino de ar necessário para nos manter como sobreviventes, e raramente tomamos consciência dos movimentos de inspirar e expirar, que refletem o ritmo binário presente em todas as manifestações do universo.

A respiração, além de abastecer nosso organismo com oxigênio, leva a energia vital presente na natureza para cada partícula de nossas células. Quando permitimos que o ar chegue às regiões mais profundas, ele é capaz de harmonizar emoções, liberar bloqueios e conduzir a alinhamentos internos que se refletem em nossa vida prática.

Não por acaso a sabedoria popular ensina a respirar fundo antes de tomar uma atitude. Simplesmente porque desta forma neutralizamos nossa energia e transformamos as vibrações dos átomos que nos compõem, sendo então capazes de reagir de forma mais acertiva e sábia. A prática diária de exercícios respiratórios pode ajudar ainda mais, levando a um estado de plenitude e harmonia constantes. Compartilhamos, então, alguns exercícios que o Yoga nos propõe.

Adhama Pránáyáma (respiração abdominal)

A expiração é naturalmente mais longa. Isso produz uma ação sedativa sobre o sistema nervoso. Gera autocontrole, autopercepção e estabilidade emocional. Ótimo para pessoas tensas e preocupadas:

• Inspire permitindo um movimento abdominal para fora;
• Retenha o ar por alguns instantes;
• Expire retraindo o abdome, procurando esvaziar os pulmões o máximo possível.

Raja Pránáyáma (respiração completa)

Aumenta a oxigenação sanguínea, reduz a frequência cardíaca. Bom para cardíacos e hipertensos:

• Inspire projetando o abdome para fora, em seguida o movimento ondula para as costelas que se afastam para os lados e finalmente dilatando a parte mais alta do tórax;
• Expire, soltando o ar da mesma forma que inspirou, primeiro da parte baixa, depois da parte média e finalmente da parte alta dos pulmões.

Nadí Shodhana Pránáyáma (respiração alternada)

Purificação dos canais de energia. Revigora todo o sistema nervoso, melhorando os reflexos, o intelecto, a saúde em geral.

• Obstrua a narina direita;
• Inspire pela narina esquerda;
• Com os pulmões cheios troque os dedos de narina, obstruindo agora a esquerda, utilizando a mesma mão para obstruir a outra narina;
• Expire pela narina direita;
• Inspire pela direita;
• Pulmões cheios trocar os dedos de narina, obstruindo agora a direita;
• Expire pela narina esquerda.

Inicie praticando 5 minutos por dia, com o tempo aumente para 10 a 15 minutos. Você conseguirá
perceber grandes benefícios na sua saúde física, mental, emocional. Depois da prática fique por alguns instantes em silêncio, se observe, medite.

 

Fonte: Jornal Bem Estar

X